Data: 11-Jan-2019
De: Emmanuel Gonzaga
Cidade: –
Assunto: Música

***

Salve Maria!

Com a recente morte do velho Padre Quevedo, não pude deixar de retornar ao assunto da parapsicologia. Já o tinha acompanhado um pouco, mas sempre me assustou sua oposição doutrinária contra o sobrenatural (inclusive, santos que tanto admiro como o Santo Cura D’Ars, o Santo Padre Pio e também Santa Gemma, dentre tantos outros, parecem até “anti-quevedistas”). A parapsicologia sempre me foi uma tentação, porque tive parte nessas seitas espiritistas antes de me converter e me tornar catecúmeno. No entanto, ao mesmo tempo em que feria a heresia, não deixava intocável a ortodoxia: pelo contrário, a feria também. Agora, vendo antigas disputas do Professor, vejo o que de alguma forma já me incomodava: a parapsicologia é um perigo (e engodo) tanto como o são a Teologia da Libertação e a RCC (apesar de lhes fazer oposição). E os parapsicólogos são francamente modernistas: naturalistas e cientificistas, como que teólogos da libertação sem a política, fingindo-se defensores da Santa Igreja. E é justamente isto o cerne de minha pergunta nesta carta: os seguidores do falecido padre (espero que tenha se arrependido) dizem, como ele dizia, que a Igreja apoia esses estudos da parapsicologia. Isso é verdade? Li o Professor dizendo que o Padre Quevedo já fora proibido de espalhar em público suas (infelizes) heterodoxias.

Apenas quero perguntar mais uma coisa, quanto ao tema da boa música. Graças ao Prof. Schlithler, decidi abandonar o Rock para “educar os ouvidos”. Numa certa carta, o Professor Orlando recomendou a um consulente músicas heroicas (militares ou não) da Idade Média. É possível me indicar algumas, apenas para ter uma noção do que devo procurar?

No mais, rezarei por esse apostolado, que, pelo menos a mim, tem dado muitos frutos. Obrigado por continuarem o legado do Professor Orlando, que eu muito gostaria de ter conhecido pessoalmente.

Sob a guarda da Virgem e do Santo Arcanjo Miguel,
Emmanuel.

***

Resposta

Prezado Emmanuel,

Salve Maria!

Bom saber que você aproveitou e se convenceu de que é um bem congruente com a nossa natureza e com nossa religião alinharmos nossa sensibilidade e nossa razão com a ordem ontológica estabelecida por Deus, ordem que é como um espelho de Deus, e que é reproduzida na boa música. Toda música é um símbolo sonoro/audível de uma concepção de mundo, Deus e homem. A beleza, como ensina São Boaventura e São Tomás, é algo de ordem intelectual. Todo efeito sensível é somente um degrau para a apreensão intelectual da música e da arte – e, como afirma São Tomás citando Aristóteles, os prazeres intelectuais são superiores aos sensíveis. Tudo o que é inferior existe para o superior, e alcança a sua perfeição se subordinando ao superior: todas as nossas potências inferiores, corpóreas, se potencializam, se realizam ao serem exercidas em função da inteligência e da vontade, e essas, em função da verdade e do bem que se encontram em última análise em Deus. Isso não quer dizer de modo algum que o prazer sensível seja condenado, pelo contrário, quer dizer que ele só se realiza de modo verdadeiro ao ser subordinado,moderado, regulado, alinhado ao intelectual: o prazer sensível é potencializado, intensificado ao ser encarado como subordinado ao intelectual que por sua vez deve estar alinhado com a realidade e portanto com Deus e sua lei eterna. Infelizmente isso é pouco compreendido por muitas pessoas, que chegam até a ficarem contrariadas com enorme antipatia quando se afirma tudo isso, alguns até rotulando essa postura como intelectualismoelitismo (acusações, aliás, feitas também à São Tomás pelos modernistas). A apreciação de músicas que reproduzem a ordem ontológica estabelecida por Deus alinha nossa sensibilidade a essa mesma ordem. Não se trata portanto de meras “paixões”: a música não é uma linguagem dos sentimentos (como queriam certos românticos), pois os efeitos sensíveis dela são apenas efeitos secundários, o que realmente a música é, é um símbolo de uma concepção de realidade. Obviamente que a interpretação precisa e articulada desse símbolo requer instrução, e obviamente que, mesmo se a pessoa escute a música só “sensorialmente” (discordo que isso seja realmente possível, pois a inteligência sempre está influenciada de algum modo, ainda que impreciso, por isso coloquei entre parênteses), sem refletir sobre ela, a música acaba inevitavelmente influenciando-a implicitamente: e se for boa, regrará a sensibilidade conforme a ordem estabelecida por Deus reproduzida em sua construção sonora. Se for construída conforme princípios falsos, desalinhados com a realidade, influenciará pela sensibilidade implicitamente a pessoa conforme esses falsos princípios.

Reproduzo abaixo outro email que enviei tempos atrás com sugestões de música.

A respeito dos compositores de transição entre barroco e clássico mencionados abaixo, mereceriam uma explicação melhor, pois, em alguns aspectos são muito bons, em outros, acabam caindo em imperfeições em relação a estética “anterior”, mas nada que realmente desaconselhe gravemente a escuta, salvo se a música for muito melosa, arrastada e melancólica (o que pode acontecer por vezes no barroco também).

SM

Fernando Schlithler

Doce Coração de Maria, sede a nossa salvação.

 

A partir desses, dá para ir conhecendo muitos outros. 

Basta procurar os nomes abaixo no youtube quando não houver o link: . 

Seguem alguns: 

Barrocos: 

https://www.youtube.com/watch?v=QWb3-6PSVPw

https://www.youtube.com/watch?v=XubfFd0nkoI

https://www.youtube.com/watch?v=rqie10ydlAg

https://www.youtube.com/watch?v=EWtSzUo2ibo

Transição Barroco para Clássico e Clássicos:

Franz Benda

Franz Xaver Richter 

Johann Stamitz

Anton Stamitz

Karl (ou Carl ) Stamitz

Franz Kommer 

Giovanni Benedetto Platti 

Joseph Leopold Eybler

https://www.youtube.com/watch?v=l9ix8ymbQcs

https://www.youtube.com/watch?v=1UzjChFQZd8

https://www.youtube.com/watch?v=dc4lN7BwI-w

https://www.youtube.com/watch?v=ss3ZtHtyw_w

https://en.wikipedia.org/wiki/Georg_Christoph_Wagenseil

Barroco Latino-americano: 

Música Barroca do Paraguai (fique tranquilo, não é barroco falsificado!): 

https://www.youtube.com/watch?v=NIhKv6yMQuY

Música Barroca da Bolívia: 

https://www.youtube.com/watch?v=AfELWvJHMFY

https://www.youtube.com/watch?v=B74hSiID-V8

https://www.youtube.com/watch?v=M81-FAodK3U

Música Barroca do Peru: 

https://www.youtube.com/watch?v=H1UMyxzZmEg

https://www.youtube.com/watch?v=hbNo4WnX45s

https://www.youtube.com/watch?v=cIaMxA4I2c0

Música Barroca do Equador: 

https://www.youtube.com/watch?v=HUMYMq7fmzQ

Música Sacra do Brasil Colonial: 

https://www.youtube.com/watch?v=cUWjJyqnxDM

https://www.youtube.com/watch?v=FDCIhzQq4Jc

Procure também pelas composições de Domenico Zipoli, religioso jesuíta que participou de missões na América do Sul no século XVIII. ( https://pt.wikipedia.org/wiki/Domenico_Zipoli ). Como por exemplo:

https://www.youtube.com/watch?v=sRSGo6hgn3k

Claro, e além do Barroco Latino-Americano, sempre temos a música instrumental de Antonio Vivaldi. Recomendo além das conhecidíssimas Quatro Estações, os Concertos L’Estro Armonico. Procure por diversas gravações desses intérpretes listados abaixo, (além das que eu já estou indicando com link) que são todos fantásticos e obrigatórios! São interpretações sofisticadissimas, de altíssimo nível e, ainda por cima você consegue até escutar o alaúde e a guitarra barroca (instrumentos de época próprios para esse repertório) quando são tocados!

– Europa Galante e Fabio Biondi

https://www.youtube.com/watch?v=HLSzcBuQnag

– Il Giardino Armonico

https://www.youtube.com/watch?v=ASSbHLQ3KGY

– Giuliano Carmignola

https://www.youtube.com/watch?v=D5cw8sv6WAU

Procure também obras de compositores como Handel, Telemann, Buxtehude. E é claro, as gravações dos grupo Hesperion XX e XXI de Jordi Savall, já recomendadas na outra carta, mas agora com link:

https://www.youtube.com/watch?v=K_8lVzFQ7UY

https://www.youtube.com/watch?v=uqEEKp-bGyE

https://www.youtube.com/watch?v=OqpoK_PEbQs

Também canções populares genuínas, folclóricas, como a dos cossacos (muitas cantadas pelo Exército Vermelho, mas embora o exército fosse comunista, a música é boa):

https://www.youtube.com/watch?v=6wlSd19MqAM

https://www.youtube.com/watch?v=9Q-OzsOmi00

https://www.youtube.com/watch?v=SZdmxIzXjsI

https://www.youtube.com/watch?v=tD_Y9iVq3kY

https://www.youtube.com/watch?v=6hp80qZe1xM

https://www.youtube.com/watch?v=kGYOGvbPAkw

https://www.youtube.com/watch?v=k4njrQs4qaQ

Também, e sobretudo, Giovanni P. da Palestrina (c. 1524-1594), o “Príncipe dos músicos”, conhecido compositor da Escola Romana, e amigo de São Filipe Neri. Recomendo muito a leitura da Encíclica Tra le Solicitudine, do Papa São Pio X, sobre Música Sacra. Nela São Pio X afirma que a Escola Romana de composição musical “atingiu a sua maior perfeição com as obras de Pedro Luís de Palestrina, e que continuou depois a produzir composições de excelente qualidade musical e litúrgica”.

Tomás Luís de Victoria (1548-1611) foi aluno de Palestrina no seminário jesuíta em Roma (Palestrina foi professor nesse seminário). Veja só o nível de quem ensinava num seminário naquela época, o nível do que se aprendia no seminário naquela época… e compare com hoje!!! Curiosidade: Tomás Luís de Victoria nasceu em Ávila, na Espanha, e a carta de recomendação dele ao seminário dos jesuítas foi escrita por ninguém mais, ninguém menos do que Santa Teresa D’Avila!

Para esse repertório de Música Sacra, recomendo grupos ingleses como, por exemplo, o Tallis Scholars e o Cambridge Singers. Abaixo algumas indicações para você começar.

Giovanni Pierluigi da Palestrina:

https://www.youtube.com/watch?v=0yd5EE0hAB8

https://www.youtube.com/watch?v=i4VoKso5ERI

Tomás Luís de Victoria:

https://www.youtube.com/watch?v=9xPh-fXYAc4

SM

Fernando Schlithler

——————————————

Muito prezado Emmanuel, salve Maria!

O tema da parapsicologia é tentação para muitos católicos. O padre Quevedo, com o apoio que a mídia dá a todos que ensinam o erro, fez muito mal difundindo-a.

Claro que a parapsicologia nunca foi aprovada pela Igreja. O Prof. Emerson Takase, aqui copiado, está estudando o tema e em breve nos dará uma aula.

Sobre as músicas e a arte em geral, devemos procurar educar nosso gosto. A fraca formação acadêmica de nossa época, aliada ao liberalismo que a todos nós busca influenciar, leva as pessoas a ouvir os piores tipos de música.

E isso é muito ruim, pois a música tem linguagem própria. Uma música má, ainda que tenha uma boa letra, fará mal a quem a ouve.

Dessa forma, temos que educar nosso gosto musical. Isso se faz substituindo a má música por músicas boas. “Nada está vencido se não for substituído”, dizia Napoleão, que era um bandido, mas muito sabido. Nisso ele tinha razão.

Há alguns anos fizemos uma coletânea de músicas. Elas estão em ordem didática a fim de ajudar as pessoas a aprenderem a gostar da boa música. Demos a esse trabalho o nome de Psallite Sapienter.

A música clássica é um importante elemento na formação dos jovens e das pessoas em geral. Quando falo em música clássica refiro-me à música erudita até o barroco. Após o barroco a música entrou em franca decadência o que vai acabar no Rock, uma anti-música. Não ouça, portanto, Beethoven, Chopin, Brahms, Liszt, Schubert etc. Mesmo com Mozart se deve ter cuidado, por ser um compositor de transição para o romantismo.

Procure ouvir Haendel, Vivaldi além de canções medievais e renascentistas. Há muita música bonita para se ouvir.

Link para você fazer o download do Psallite Sapienter I

https://1drv.ms/f/s!AkWg7DjvsQorgeU1zosgGDoslStNSg

Alguns exemplos de boas músicas:

Alma Redemptoris Mater do compositor Palestrina (Palestrina é um dos mais importantes compositores de música sacra. Compôs inúmeras obras):

https://www.youtube.com/watch?v=VsPQFytWWHo&feature=youtu.be

Um exemplo do barroco peruano (assim você conhece também o que os padres fizeram por aqui ensinando os índios). Ouça que música espetacular:

https://www.youtube.com/watch?v=k7RlAd45HgQ&feature=youtu.be

Esse é o canal do coral do Colégio São Mauro (Flammula Chorus):

https://www.youtube.com/channel/UCGIA2-egG3YvJOw2m3tNCAw

Concertos para órgão de Haendel:

https://1drv.ms/f/s!AkWg7DjvsQorgeN0E5ZcciiexXNoqQ

https://1drv.ms/f/s!AkWg7DjvsQorgeN1v4fW5A_N4WMmRg

https://1drv.ms/f/s!AkWg7DjvsQorgeN2YaAGa9XY5a3IXw

Canções renascentistas inglesas:

https://1drv.ms/f/s!AkWg7DjvsQorgosfDvPWPUGEmU774w

Uma coisa interessante a ser fazer é organizar audições musicais para ouvir músicas acompanhando-as com as letras traduzidas. Alguém pode preparar uma breve introdução explicando algo sobre o estilo, o autor e a obra.

Faça isso vez ou outra com os alunos e costuma ser muito agradável e proveitoso.

Escreva-nos sempre que desejar.

SM

André Melo

Leave a Reply