Data: 03-Abr-2018
De: José Aurélio C.
Cidade: Goiânia
Assunto: Santa Igreja como meio de salvação

***

Boa tarde

Salve Maria Santíssima!

         Prof. André, como podemos afirmar e ter a certeza que a Santa Madre Igreja é a detentora da salvação e sem ela não há meio para se salvar.

          Como os protestantes irão se salvar, pois os mesmos negam as verdades de fé. E quais os documentos e a veracidade desta afirmação.

          Me chamo José Aurélio Calvoso, moro em Goiânia – Goiás.

***

Resposta

Prezado Aurélio, salve Maria!

Há muitas provas de que Igreja Católica é a única igreja verdadeira e, portanto, o único meio de salvação.

Primeiramente, sendo Deus um só, uma deve ser sua Igreja.

Se há apenas uma verdade, não pode haver mais de uma religião verdadeira pois, do contrário, qualquer divergência entre as diferentes “igrejas verdadeiras” mostraria uma contradição na própria verdade o que seria absurdo.

Assim como num teorema matemático, numa questão filosófica ou numa questão metafísica uma só pode ser a solução verdadeira, em religião, uma só pode ser a igreja verdadeira.

Em toda a Escritura Sagrada se vê que Deus nunca multiplicou as religiões. Pelo contrário, Ele sempre propôs aqueles que querem salvar-se um único caminho. Foi assim com Adão no Paraíso, com Noé na Arca, com Abraão no povo eleito, com Moisés na Lei etc.

No Antigo Testamento, o caminho de salvação estabelecido por Deus foi o judaísmo, que tinha como função preparar o povo para a vida do Messias, Jesus Cristo.

No Novo Testamento, Cristo ensinou que Ele é o caminho, no singular (Jo 14,6).

Ao entregar a São Pedro o poder da chaves, Cristo referiu-se à sua Igreja, também no singular. Ele não disse que entregaria a Pedro uma de suas Igrejas, ou parte de sua Igreja. Cristo afirmou: “tu é Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt 16,18).

Portanto, sendo Cristo o único caminho, sua Igreja é a única religião verdadeira. É o único meio de salvação. Portanto, “há um só rebanho e um só Pastor” (Jo 10,16).

Só a Igreja Católica salva e fora da Igreja Católica não há salvação.

Por isso que a Igreja Católica, conhecedora dessa verdade que é a razão de sua existência, procurou em todos os tempos ensiná-la. E a fazê-lo ela realizava singular obra de caridade.

Daí o mal do subjetivismo religioso ao afirmar ser qualquer religião boa desde que se busque a Deus com coração reto. Coração reto se mostra ao servir a Deus da forma que Ele estabeleceu.

Daí o mal do Vaticano II ao promover um ecumenismo que coloca no mesmo nível a Igreja de Cristo e as falsas religiões, a verdade e o erro.

O ensinamento da Igreja sempre foi o contrário do que aqui afirma o Vaticano II. Veja, por exemplo, o que ensinou Bonifácio VIII na Bula Unam Sanctam: “Una, santa, católica e apostólica: esta é a Igreja que devemos crer e professar já que é isso o que a ensina a fé. Nesta Igreja cremos com firmeza e com simplicidade testemunhamos. Fora dela não há salvação, nem remissão dos pecados, como declara o esposo no Cântico: ‘Uma só é minha pomba sem defeito. Uma só a preferida pela mãe que a gerou’ (Ct 6,9)”.

Você também nos pergunta como os protestantes “irão se salvar, pois os mesmos negam as verdades de fé”. Ora, enquanto protestantes e negadores das verdades de fé eles não se salvarão. Para que se salvem eles precisam se converter, reconhecendo e aceitando aquilo que Cristo pregou e realizou. Do contrário eles se condenarão.

Como ajuda-los então?

Fazendo apostolado. Repetindo, corajosamente e sem falsa caridade sentimental, aquilo que a Igreja sempre ensinou e sempre fez. Procurando ajudá-la, dentro de nossas limitações e misérias, a realizar a mais importante das obras de caridade: levar almas para Deus. Levar almas para sua Igreja.

Você não gostaria de ajudar-nos nesse trabalho?

Salve Maria!

PS. Temos muitos amigos em Goiânia e gostaria de colocá-lo em contato com eles.

Leave a Reply