Bibliografia – Guerra da Vandéia

Data

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Data: 25-Jan-2019
De: Thiago Mello de Carvalho
Cidade: Petrópolis
Assunto: Bibliografia – Guerra da Vandéia 

***

Boa tarde! Gostaria de saber a bibliografia utilizada para as aulas acerca da guerra da Vandéia, pois, desde o momento em que descobri a história de tal região francesa, tão valente na defesa da Verdade, não consigo parar de pesquisar sobre o assunto. Gostaria de parabenizar o professor Andre Melo pelas aulas. Muito obrigado! Paz e Bem!

***

Resposta

Muito prezado Thiago, salve Maria!

Obrigado pelas palavras de incentivo. Deus lhe pague por elas.

Peço-lhe que reze por nosso apostolado. A vida de um católico é – e deve sempre ser – a de um combatente por Deus Nosso Senhor. Os campos da batalha mudam, mudam também as armas, mas a guerra é sempre a mesma.

A história dos vandeanos é simplesmente espetacular. Um belo exemplo do heroísmo que a correta compreensão e prática da religião católica produzem. Bem distante do sentimentalismo meloso – que muitos padres e católicos têm hoje em dia – e averso a toda polêmica e combate.

Há muitos exemplos assim na História da Igreja como as Cruzadas, os Cristeros no México etc. E a luta dos católicos da Vandéia sem dúvida formam uma das mais belas páginas dessa História.

Recomendo-lhe como leitura uma coleção chamada La nave y las Tempestades, Padre Alfredo Saenz. É uma coleção boa, mas com algumas ressalvas (por exemplo, Padre Saenz apoia Joseph de Maistre, o que é uma pena).

Essa coleção possui um volume dedicado à Guerra da Vandéia.

Há uma autora francesa chamada Marie de Sainte-Hermine, seu livro se chama Une famille de brigands en 1793.

E um outro autor, também francês, que se especializou no assunto. Seu nome é Reynald Secher, ele escreveu La Vendée-Vengé dentre outros.

Usei também, na aula, fatos que aprendi nas aulas do Prof. Orlando, de quem fui aluno por muitos anos até sua morte em 2010.

Escreva-nos sempre que desejar e vindo à São Paulo não deixe de aparecer em uma de nossas aulas. Será um prazer conhecê-lo pessoalmente.

Um abraço,

Salve Maria!

André Melo.